LOGO
Todos os direitos reservados.
® Copyrigth 2013 - CNH
"Melhor educar meninos, do que remendar homens."
CONTATO
Faça contato, tire suas dúvidas sobre o CNH.
Mande um e-mail para:  cnhedu@gmail.com
SEJA NOSSO PROFESSOR
Faça parte dessa Equipe Vencedora.
Envie Currículo:  cnhedu@gmail.com
BANDA DRAGÕES IGUAÇUANOS
Fundação: 21 de abril de 1971.
Formação: é formada, em sua essência, por alunos do Curso Fundamental do Colégio Novo Horizonte, situado em Nova Iguaçu, RJ.
Modalidade: Marcialidade. À moda da Banda Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais, desde 1971.
Composição: Mista, formada por aproximadamente 100 componentes.
Regentes: Maestros Cesário José Barbosa Neto, Cristiano Castellano da Silva e Carlos Eduardo Castellano da Silva, todos pertencentes ao Corpo de Fuzileiros Navais.
Coreógrafo: Gisele da Silva Ferreira.
Objetivos da formação dessa Banda: Incentivar o espírito de união e civismo; Disciplinar e despertar o senso de responsabilidade;
Visar um futuro profissional
Coordenação: Sônia Regina Castellano da Silva
Auxiliar: Josefa Soares da Silva.
Direção Geral: Professor Hélio Gama Corrêa
A Banda do Colégio Novo Horizonte, Dragões Iguaçuanos, foi fundada em 21 de abril de 1971. seu primeiro maestro, Professor Plínio da Silva Montenegro foi quem deu o nome a banda que persiste até hoje. Era uma banda composta de bateria, cornetas e contra-baixos. Quatro meses depois, por motivos pessoais, ele retirou-se assumindo a partir de então o jovem Pedro Baltazar Teixeira, preparando a banda para as primeiras saídas em Nova Iguaçu, o fazendo com muito sucesso. Após 3 anos de apresentações, inclusive em São Paulo na Avenida São João (Campeonato Nacional), resolvemos dar um maior impulso ao trabalho. Contratamos o Índio Boca Negra, que havia sido mestre da Banda Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais que trouxe para ajudá-lo, um colega Sargento Elias, ambos fuzileiros.
Quatro meses depois foram para Bahia e nos indicaram o maestro Brito também fuzileiro que trouxe para ajudá-lo David Passos de Moura e o Sargento Moisés. Quatro Meses depois o Brito foi substituído por Nilton Claudomiro do Rosário permanecendo por 10 anos a frente da Banda Marcial dando-lhe uma estrutura bastante sólida. Esse tipo de banda participou de vários eventos cívicos no Rio de Janeiro como:

Fogo Simbólico da Pátria; 1º Distrito Naval;
Eventos pel Liga da Defesa Nacional;
Dia do Reservista na Herma da Olavo Bilac;
Praça Tiradentes em homenagem a José Bonifácio
1º Exército - Homenagem a Duque de Caxias;
Troca da Guarda no Monumento aos Praçinhas;
Desfile Cívico na Av. Presidente Vargas;
Rua da Carioca;
Feira da Previdência;
21 de Abril em homenagem a Polícia Militar na Av. Antônio Carlos
Maracanã (Fluminense X Botafogo) (Flamengo X Vasco);
Abertura da Olimpíada do Rodoviário- Maracanãzinho;
Abertura dos Jogos Estudantis em São Januário;
Aniversário da Cidade de Macaé;
Rio Centro
Campo do América;
Avenida Rio Branco;

Paralelamente mais ou menos em 1985, criamos também a Banda Musical Dragões Iguaçuanos sob a regência do maestro Milton Roberto de Carvalho Sub-Oficial da Banda Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais. Existiu essa banda por 6 anos, chegando a tirar o primeiro lugar em um concurso realizado pela Funarte em frente ao Teatro Municipal do Rio de Janeiro em 1988 e ganha mais o 3º lugar em São Paulo na Av. São João, concurso esse organizado pela Rádio Record por Durval de Souza.Devido a dificuldade de encaixarmos nossa Banda Marcial à moda da Banda Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais nas competições existentes (por ter gaita de fole e pífaro, instrumentos incomuns em outras bandas), resolvemos fazer uma Banda de Tambores, categoria nova com muita aceitação no Estado do Rio de Janeiro, principalmente. Pinçamos o jovem André da Silva Sisnande, tocador de surdo da Banda Marcial, para criarmos juntamente com o Sargento Cesário Barbosa Neto que já era da Banda Marcial, o percursionista Vítor Paulo de Siqueira elemento também da Banda Marcial e Musical, e o coreógrafo Rogério, a Banda de Tambores Dragões Iguaçuanos.
Esse tipo de banda de tambores, conseguiu a proeza a partir de 1988, de ser campeã e às vezes por mais de uma vez em anos diferentes nas várias cidades em que se apresentou:

Itatiaia; Resende; Volta Redonda; Barra do Piraí; Friburgo; Valença; Miguel Pereira; Barra Mansa; Quatis; Porto Real; Engenheiro Passos; Guapimirim; Tinguá; Rio das Ostras; Visconde de Imbé; Carapebus; Lote 15; Petrópolis (Estadual); Cachoeiras de Macacu; Nilópolis (6 vezes seguidas).

Também fomos duas vezes 3º lugar e uma vez 5º lugar; em todas outras vezes que não fomos campeões, fomos vice-campeões. Podemos ainda assinalar inúmeras apresentações especiais como por exemplo:

Águas de Lindóia- SP; Taubaté - SP; Tombos - MG; Guaratinguetá - SP; Cachoeira Paulista- SP; Hipódromo de São Paulo - SP; Rio das Flores - RJ; Caieiras - SP; Campo do Fluminense (Copa Eliminatória de Natação com a presença de Roberto Dinamite e Bernard).
Últimos Títulos Conquistados:

Campeonato Estadual Petrópolis(2003)
Campeão Geral Cachoeiras de Macacu (2003)
Rio das Ostras;
Miguel Pereira;
Engenheiro Passos;
Nilópolis;
Itatiaia (último campeão geral);
Friburgo (último campeão geral);
Campeão Valença;
Carapebus;
Cachoeiras de Macacu;
Vice-Campeão Resende


Há alguns anos, retornamos com a Banda Marcial à moda Banda Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais que faz apresentações cívis, aniversários das cidades e outras festividades.
Algumas Curiosidades da Dragões Iguaçuanos

O 1º troféu ganho pela antiga Banda Marcial em São João de Meriti foi de 1º Lugar em cima da Banda do Coca;
David ensinava somente Gaita de fole;
Moisés ensinava somente pífaro, corneta e contra-baixo (posteriormente foi transferido para o Rio Grande do Sul);
O trio David, Moisés e Nilton deram toda estrutura da Banda do CFN aos Dragões Iguaçuanos;
Nilton ficou 6 anos na Banda e não era mestre da Banda do CFN e após esse período, ele tornou-se maestro da Banda do CFN;
O 1º troféu em Visconde de Imbé (1º lugar) foi ganho pela Banda de Tambores em cima da Banda Nossa Senhora das (...) Dores ou Graças;
Hoje vários alunos de nossa Banda integram a Marinha, Exército e Aeronáutica sendo a maioria no Corpo de Fuzileiros Navais;
Nós temos um aluno fundador da Dragões Iguaçuanos tocando ainda: Luiz Oberdan pertence a Banda desde 1972.
No momento, existem como o nome de Dragões várias Bandas inspiradas pela existência da Banda Dragões Iguaçuanos o que muito nos envaidece: Dragão Azul (Campos)
Dragões da Vila Kennedy (Bangu)
Dragões do Alcindo (Caxias)
Dragões de Heliópolis (Belford-Roxo)
Dragões de Jardim Primavera (Caxias)


É sinal de que nosso grandioso trabalho inspira outas Bandas. Fato de que muito nos orgulhamos.


HOMENAGEM ESPECIAL
Gostaríamos de fazer uma menção especial aos mestres: Plínio - iniciador da Banda, Pedro - continuador, Nilton, Milton, David, André Cisnande e José Cesário, figuras com relevantes serviços prestados à Banda Dragões Iguaçuanos.
BANDA1
BANDA2